24 de Junho de 2014

Por que os processos de seleção tradicionais estão ultrapassados

As mudanças que ocorreram no mundo nas últimas décadas alteraram profundamente a maneira de lidar com vários setores da economia, da comunicação e da gestão. Os perfis dos profissionais exigidos pelas empresas mudou, e com isso novos papéis e aptidões passaram a ser estimulados. E cabe ao departamento de recursos humanos, ou à pessoa responsável por essa atividade, fazer um processo seletivo dos futuros empregados, de modo a encontrar talentos com a máxima eficácia e gerando o menor custo possível para a empresa. Será que, em meio a tantas mudanças, os métodos tradicionais de seleção para emprego ainda são confiáveis e eficientes? Descubra a seguir.

Será que os processos de seleção tradicionais estão ultrapassados?

Quando se divulga a notícia de que sua empresa está procurando novos candidatos, muitas pessoas podem vir à caça do emprego. Os currículos dos candidatos são muito abrangentes, porque são preparados para se conseguir a maior quantidade possível de oportunidades e é difícil avaliar corretamente os perfis que estarão de acordo com as vagas oferecidas.

A seleção clássica de recursos humanos se baseia ainda na realização de um sem número de entrevistas presenciais e até de jogos interativos em grupo, a fim de avaliar as qualificações e a desenvoltura dos candidatos em determinadas situações controladas. Só que, diante de um novo mundo, muito mais conectado e que exige rapidez, todas essas atividades acabam sendo improdutivas, demoradas e muito dispendiosas.

Necessidade de rapidez e avaliação precisa das competências

Uma boa prática de contratação atualmente precisa delinear com mais rigor as competências dos candidatos, com o foco específico no cargo que será ocupado. Depois de se identificar o perfil que uma vaga em especial exige, é preciso ser rápido para selecionar os talentos, antes que alguma empresa concorrente chegue primeiro. Um processo de contratação baseado em competências permite identificar com maior segurança a pessoa certa para se contratar.

É por isso que, também quando se avalia a questão da eficiência, as práticas antigas não oferecem respostas adequadas às atuais demandas: elas partem de uma seleção genérica entre vários candidatos, consumindo muito tempo e dinheiro, fatores cada vez mais valiosos no mundo corporativo.

Então, qual a saída?

Diante de tantas deficiências dos métodos tradicionais de seleção, além da dissonância com as várias ferramentas e demandas contemporâneas, uma excelente opção seria valer-se das chamadas gravações de entrevistas digitais. Você não sabe o que é isso? Pois bem: os candidatos que procuram sua empresa recebem convites para fazerem “pré-entrevistas” gravadas em vídeo, respondendo a perguntas mais seletivas e direcionadas aos cargos que se busca preencher.

Se depois for necessário fazer entrevistas presenciais, somente os melhores candidatos, que atendam ao perfil procurado, serão convocados. O novo processo, além de ser muito mais eficiente, poupará tempo e os custos de se fazer inúmeras entrevistas presenciais.

Há alguns anos, as novas tecnologias possibilitaram a criação de currículos digitais. Depois, foi a vez da elaboração de portfólios digitais. Tudo isso já havia permitido criar novas demandas e estabelecer formas inovadoras de se procurar emprego. Mas, foram iniciativas que não vingaram por motivos óbvios a quem conduz processos de seleção. Agora, as gravações das entrevistas digitais abrem uma nova era para a seleção de candidatos para a sua empresa, adaptando-se às necessidades atuais e cheia de benefícios. Você já parou para conhecer essa ferramenta tão útil? Então entre no site do Présumé e informe-se sobre os nossos serviços!

Escrito por Renato Tavares